Usain Bolt encerra participação no Mundial de Atletismo só com ouro

Imprimir

O velocista jamaicano Usain Bolt encerrou a participação no Mundial de Atletismo na China. O homem mais rápido do mundo conquistou só medalhas douradas na competição. É imperceptível para quem assiste, mas alto e claro para os atletas. O som do bastão caindo no chão marcou a desclassificação do revezamento 4x100 logo nas eliminatórias. O Brasil acabou eliminado também na versão feminina da prova e no 4x400 para homens. Além da prata de Fabiana Murer no salto com vara, o país tem pouco para celebrar – e muito para se preocupar até 2016.

Já Ashton Eaton terminou o campeonato escutando algo mais agradável: a ovação do público que viu o primeiro recorde mundial do torneio. E era recorde do decatlo, para se admirar de joelhos. Dez provas em dois dias, e ele ainda teve forças para correr até a arquibancada e ouvir um parabéns especial da namorada.

Moh Farah, por outro lado, gosta do som das badaladas do sino que marca a última volta. Ali, o britânico disparou para o tricampeonato dos 5 mil metros. Moh é o raio das provas de resistência.
Um outro raio, o da velocidade, também fez a despedida dele do Mundial. E, desta vez, Usain Bolt corria também pelos companheiros, na decisão do revezamento 4x100 metros. As jamaicanas venceram a disputa feminina antes e ficaram na torcida. Mas nem precisava. Bolt, o último a correr, já saiu sem muitas ameaças e fez o que sabe. Os americanos, ansiosos, erraram na troca de bastão e foram desclassificados, deixando a prata para a China e o bronze para o Canadá.
“Eu vim de uma temporada de muitas lesões, mas perseverei e consegui me superar”, disse o jamaicano.

Conseguiu mesmo: três provas, três ouros. Em Pequim, Bolt só escutou o som da vitória

Fonte: www.g1.com.br